NOTÍCIAS

29/11/2019

Lagartas: como identificar as principais inimigas do agricultor

Helicoverpa, falsa-medideira, lagarta-da-soja e lagarta-do-cartucho estão entre as espécies que mais ameaçam a produtividade

Reconhecer uma lagarta não é difícil. Todas têm em comum o aspecto de verme, o corpo cilíndrico e o hábito de se alimentarem vorazmente de folhas de diversos tipos. No entanto, identificar as diferenças entre cada uma das espécies e prever os prejuízos que podem causar na lavoura é uma tarefa que exige um pouco mais de conhecimento pelo produtor.

Da mesma forma, saber que providências tomar em caso de infestação demanda alguma experiência. “São tipos de controle similares, mas que precisam de uma atenção maior de acordo com cada lagarta”, diz o gerente de inseticidas da Syngenta, Vinicius Zardo.

Segundo a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), há quatro tipos de lagartas que hoje estão entre as principais ameaças à produtividade:

 

1 - Lagarta helicoverpa (Helicoverpa armigera)

Características: a Helicoverpa armigera tem surpreendido produtores e pesquisadores nas últimas safras pelo grande poder de destruição, causando prejuízos principalmente às lavouras de soja, milho e algodão. Esta espécie tem pelos brancos na parte frontal e pintas na superior. A tonalidade pode variar entre amarela, verde, verde escura e preta.

O potencial de reprodução deste tipo de lagarta é alto. Uma mariposa pode colocar mais de mil ovos, em média, ao longo da vida. A duração do ciclo de existência, que varia de 30 a 60 dias, permite que várias gerações sucessivas se completem na mesma safra de soja. Ela também se desloca rapidamente, tem grande capacidade de resistência e consegue se adaptar a diferentes ambientes, climas e sistemas de cultivo.

Como ataca a lavoura: a helicoverpa se alimenta de botões florais, frutos, maçãs e espigas, causando deformações, podridões e quedas. Na lavoura de soja, onde há alta incidência, a praga ataca flores e vagens, apesar de se alimentar também das folhas. Ela pode atacar durante todo o ciclo da cultura, desde a emergência até a fase reprodutiva.

 

2 - Lagarta falsa-medideira (Chrysodexis includens)

Características: a falsa-medideira está entre as principais lagartas que ameaçam a cultura de soja, mas também está presente nas lavouras de algodão. Tem coloração verde-clara com pontos pretos e linhas esbranquiçadas no dorso. Uma das características deste tipo de lagarta é se movimentar dando a impressão de que está medindo palmos, por isso o nome. Alimenta-se de uma grande variedade de plantas, o que facilita o crescimento populacional, por isso é possível encontrar a praga em vários estádios de desenvolvimento em uma mesma região.

Como ataca a lavoura: estas lagartas começam raspando as folhas, o que resulta em algumas manchas claras. Na medida em que crescem, podem destruir completamente as folhas, danificando até as hastes mais finas. Elas preferem se alimentar do limbo (a superfície da folha, que é a parte principal), deixando as nervuras intactas e aspecto rendilhado.

 

3 - Lagarta-da-soja (Anticarsia gemmatalis)

Características: como o próprio nome diz, é uma das espécies bastante comuns na cultura de soja. As lagartas pequenas têm cor verde e quatro pares de pernas no abdome. Na fase adulta, são mariposas de cor variável, do marrom-escuro ao cinza-claro. Como a lagarta-da-soja também se locomove dando a impressão de que está medindo palmos, pode ser confundida com a falsa-medideira. Esta espécie tem coloração verde ou preta, três linhas longitudinais brancas no dorso e quatro pares de pernas abdominais.

Como ataca a lavoura: a lagarta-da-soja começa perfurando as folhas, mas deixa as nervuras centrais e laterais intactas. O consumo foliar nos três primeiros estágios (lagartas até 10 mm) corresponde a 5% do total durante toda a vida da prega. Do quarto ao sexto estágio, ela consome aproximadamente 95% do total.

 

4 - Lagarta-do-cartucho (Spodoptera frugiperda)

Características: a lagarta-do-cartucho atinge as lavouras de trigo, algodão, soja e arroz, entre outras. O adulto é uma mariposa que mede 35 mm de envergadura. As asas anteriores são escuras e as posteriores brancas e acinzentadas. No final do período, elas medem 50 mm. Ela tem coloração que varia de parda e verde-escura até quase preta e três linhas branco-amareladas na parte dorsal do corpo. É bem comum só encontrar uma lagarta por planta, pois essa espécie pratica o canibalismo.

Como ataca a lavoura: no início, a lagarta-do-cartucho raspa a folha, mas quando desenvolve a perfuração, destrói consequentemente o cartucho (parte central, ou miolo do milho), deixando uma grande quantidade de excrementos na planta. A praga ataca a planta cortando-a rente ao solo e destruindo as espigas em formação, o que afeta o formato dos grãos. O período crítico é próximo ao florescimento. No milho, ocorre tanto nos cultivos de verão como no de safrinha.

Como prevenir e controlar infestações

O monitoramento de lagartas para avaliar a densidade populacional deve ser feito por meio de amostragens constantes pelo produtor. “É uma praga fácil de encontrar visualmente. O que deve ser levado em conta, quando surge, é quantidade, espécie e nível de incidência na lavoura. Por isso saber identificá-las é tão importante”, diz Zardo.

De acordo com a recomendação da Embrapa, uma vez atingido o nível de dano econômico (determinado pela densidade populacional que causa perda financeira igual ao custo de controle), os produtores devem adotar o manejo integrado, que envolve técnicas de controle biológico, químico e rotação de culturas. Quando há pico populacional das lagartas, o portfólio da Syngenta conta como opção para o controle o Ampligo, que tem também registro para uso em outras culturas, como soja, algodão, cana-de-açúcar e trigo.

A produtividade, porém, é construída desde o inicio da lavoura, até mesmo antes do plantio. Neste momento, o tratamento de sementes Fortenza Duo ajuda no manejo adequado. “No entanto, se há alta incidência de lagartas, a solução é aplicar o inseticida conforme cada tipo de lagarta”, afirma Zardo.

Novidade - Para o controle da lagarta Helicoverpa nas culturas de soja, algodão e feijão, o governo brasileiro aprovou recentemente o uso do inseticida Proclaim, desenvolvido pela Syngenta. O produto, que estará disponível para os agricultores em abril, atua em todos os estágios do ciclo de vida da praga. Deve ser aplicado durante o período reprodutivo da cultura, onde há pico populacional de lagartas.

 

 

FONTE: PORTAL SYNGENTA