NOTÍCIAS

16/06/2020

Trigo: tratamento de sementes pode contribuir para o controle de pragas

Em busca do controle eficiente da lavoura, os cuidados começam antes mesmo do cultivo

Presente nos hábitos alimentares de praticamente toda a população mundial, o trigo tem grande importância econômica e alimentícia. A cultura tem ligação direta com a evolução da humanidade e, aqui no Brasil, já faz história desde o século XVI. Mesmo assim, só no início do século XIX, com a chegada dos alemães e italianos ao país, que o cultivo do cereal foi estabelecido com mais força no Sul do país.

 

Hoje, o país é responsável por uma produção anual que atinge cerca de 6 milhões de toneladas, que representa aproximadamente 50% do consumo nacional, que é em torno de 12 milhões de toneladas do grão.

 

Plantado depois da colheita da soja, geralmente a partir de abril, o trigo é considerado uma boa opção para a rotação de culturas. Embora seja uma alternativa interessante para manter a sanidade dos próximos cultivos, precisa de planejamento e cuidados desde antes do plantio para não se tornar sinônimo de prejuízos.

 

Pragas com maior incidência na lavoura de trigo

Dentre os cuidados necessários com a lavoura de trigo está o controle e combate às pragas. O ataque de pragas pode representar um grande prejuízo para o agricultor. Entre as ameaças existentes, se destacam:

 

  • Coró-das-pastagens: o Diloboderus abderus, chamado popularmente de "Coró-das-pastagens" é uma larva que, depois do desenvolvimento, torna-se besouro e representa um problema expressivo para o trigo. As larvas, que têm forma de "C" e cor esbranquiçada, se alimentam das sementes, raízes e demais partes das plantas, sendo que um único coró pode consumir até duas plântulas de trigo em uma semana;

 

  • Pulgão-verde-dos-cereais: realizando ataques também durante o crescimento de outras culturas, o Rhopalosiphum graminum tem preferência por gramíneas e, no caso do trigo, suga o limbo foliar das plantas, deixando-as amareladas e, em caso de ataques mais intensos, causando a morte da mesma. A praga se propaga durante o ano todo, mas encontra no inverno condições mais favoráveis para aumentar a densidade populacional. Quando adultos, os insetos têm cor verde brilhante e, conforme se desenvolvem, são caracterizados pela cor verde escura, com antenas pretas;

 

  • Pão-de-galinha: a larva, também conhecida como "bicho-bolo" leva o nome científico de Diloboderus abderus. O ataque ao trigo pode ocorrer depois que a praga atacou a plantação de soja colhida antes da semeadura. Semelhante ao coró, a larva possui cor branca, com a parte superior do tronco e as pernas em tons de marrom. Seu ataque tem como consequência a destruição das plântulas, que são puxadas para dentro do solo ou secam e morrem pela ausência de raízes. Depois do ataque, as pragas que conseguem se desenvolver até a fase adulta são pouco produtivas.

 

 

Tratamento de sementes: uma medida eficaz

Entre as ações indicadas para o combate às pragas que podem atingir a lavoura de trigo estão o tratamento de sementes, utilização de inseticidas e a inspeção da área antes da realização do plantio.

 

No sistema de manejo integrado, o tratamento de sementes é uma prática indispensável, em especial quando se trata da cultura do trigo. É ele que define o potencial produtivo da lavoura, que já começa no período de emergência e pode ser verificado através do estabelecimento das plantas e de seu desenvolvimento posterior.

 

Sempre atenta às necessidades do produtor rural nos diferentes momentos da lavoura, a Syngenta disponibiliza em seu portfólio o Cruiser Opti, mais uma das soluções para impulsionar os bons negócios no campo e qualidade das lavouras.

 

Ele realiza o tratamento de sementes com uma única aplicação e, por possuir efeito bioativador, contribui para o desenvolvimento das plantas, velocidade de emergência e sistema radicular.

 

Investindo em tecnologia e pesquisa, a Syngenta tem como objetivo ajudar o produtor a obter resultados de sucesso, com plantas saudáveis e a produtividade esperada na hora da colheita. Por isso, conta com um portfólio completo, com as melhores soluções para o agricultor.

 

FONTE: PORTAL SYNGENTA