NOTÍCIAS

04/07/2020

Elimine os percevejos da sua lavoura em poucas horas

Parte do complexo de pragas que mais causam prejuízos às lavouras da cultura, os insetos atacam ao longo de todo o ciclo e devem ser monitorados

Fundamental para a economia brasileira, o agronegócio representou cerca de 21% do PIB (Produto Interno Bruno) em 2019, porcentagem significativa que comprova a versatilidade da produção de grãos no país e sua importância nas exportações.

 

Ração, óleo e alimentos ricos em proteínas são apenas algumas das opções em que a soja pode ser utilizada como matéria-prima, o que justifica os índices de exportação e também de consumo do produto no mercado interno brasileiro.

 

Ameaças resistentes que podem comprometer os resultados significativos da oleaginosa para a economia nacional, os percevejos são inimigos silenciosos, que atingem as lavouras de soja reduzindo a produtividade e qualidade dos grãos.

 

Eles se alimentam inserindo estiletes em diferentes partes da estrutura da planta, em especial nas vagens, prejudicando diretamente os grãos da soja. Esses insetos sugadores são considerados uma das ameaças de maior importância para a cultura, em especial as espécies:

 

Euschistus heros: o percevejo marrom pode chegar na lavoura no período de entressafra e sobreviver até o desenvolvimento de um novo ciclo cultivado no mesmo espaço. Com facilidade para se desenvolver em regiões quentes, causa preocupação pelo potencial de resistência. Seu ataque atinge principalmente os ramos e hastes da soja mas, quando não é realizado o combate, pode comprometer também as vagens em formação. Dentro do período inferior a um mês, o percevejo pode causar danos em até 40% da produção;

 

Nezara viridula: mais comum no início do ciclo, o percevejo-verde se alimenta da vagem da soja. Inseto polífago, ele pode sobreviver por um longo período e se desenvolver de acordo com as opções de alimentos disponíveis. O ataque da espécie compromete até 60% da produção;

 

Piezodorus guildinii: o percevejo-verde-pequeno-da-soja possui incidência em todas as áreas produtoras do Brasil e é considerado uma das espécies mais prejudiciais para a lavoura. Seu ataque é causado principalmente no estádio de floração da soja, comprometendo a qualidade das sementes e causando a retenção foliar. O resultado disso é percebido pela redução na qualidade dos grãos, que têm seu potencial germinativo afetado.

 

Engeo Pleno S: a evolução no controle de percevejos da soja

Entre as soluções para a realização de ações preventivas, controle e combate ao percevejo na lavoura de soja, está o monitoramento, preparo do solo e a aplicação de defensivos de forma correta, no período certo, para alcançar os resultados esperados.

 

Com o objetivo de ajudar o sojicultor a extrair o máximo de sua lavoura, Engeo Pleno S auxilia no manejo de percevejos de forma assertiva.

 

O inseticida da Syngenta, possui tecnologia Zeon, que proporciona melhora no método de micro encapsulamento de lambda-cialotrina, potencializando o controle e prolongando o efeito residual.

 

Excelente no controle de ninfas e adultos, age com alto índice de mortalidade dos percevejos, com ação superior aos dos produtos já conhecidos no mercado.

 

Poupando o produtor de lidar com prejuízos e colaborando para a maior qualidade do grão a ser colhido, o produto é a melhor ferramenta para as primeiras aplicações.

 

Seu efeito de choque e residual sem igual oferecem melhores resultados quando o produtor segue todas a recomendações, respeitando o momento e as dosagens adequadas para a cultura.

 

A Syngenta conta com um portfólio completo de soluções, resultado do investimento em inovação e tecnologia. É uma forma de caminhar ao lado do produtor em busca do crescimento e bons resultados em todas as fases da lavoura. Nunca foi sorte, sempre foi Engeo Pleno S.

 

FONTE: PORTAL SYNGENTA