NOTÍCIAS

04/07/2020

Soja: mantenha sua lavoura livre das lagartas de difícil controle

Presente em todas as regiões produtoras do país, estas pragas podem comprometer mais da metade da produtividade

O Brasil é o maior produtor mundial do grão de soja e a cultura possui um papel importante para a economia nacional, impactando na expansão do cultivo nas regiões produtoras do país. A partir de resultados positivos alcançados pelos investimentos em inovação e tecnologia nas lavouras, o Brasil contou na safra de 2019/20 com aproximadamente 36.843,5 mil hectares cultivados do grão, segundo o 8° levantamento da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento).

 

De olho nos bons resultados do plantio da safra 2020/21, o país deve comercializar até 50% da produção esperada já no início do plantio, que ocorre a partir de setembro.

 

O dólar em alta e o crescimento da demanda da China pela commodity para a produção de ração e processos internos impactam positivamente nas exportações do grão brasileiro. Até abril de 2020, a China consumiu 73,4% da soja produzida no Brasil, um crescimento superior a 25% em relação ao mesmo período do último ano, segundo o MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento).

 

Os resultados são fruto dos investimentos feitos pelo produtor desde o planejamento do plantio até a colheita. E, dentre os cuidados a serem tomados para que os resultados continuem sendo positivos, está o combate às lagartas de difícil controle, que ameaçam a produtividade da cultura da soja em todas as regiões brasileiras.

 

Ao atacar a planta, as lagartas diminuem a área foliar, responsável pela fotossíntese, ocasionando um desenvolvimento irregular e insatisfatório das plantas e, consequentemente, perdas na produtividade.

 

Entre as espécies que podem causar sérios danos à lavoura de soja, estão:

 

Lagarta-falsa-medideira: a Chrysodeixis includens é uma praga que causa danos expressivos na lavoura de soja, o que passou a exigir dos agricultores ainda mais cuidado e atenção na hora de realizar o manejo. Chamada assim pela forma que se locomove, por ter apenas dois pares de pernas na parte da frente do corpo e um par na calda, essa espécie de lagarta causa a desfolha das plantas, destruindo completamente o limbo foliar, podendo comprometer até 60% da produção;

 

Helicoperva: comum em todas as regiões produtoras do grão no território nacional e com grande potencial destrutivo, os danos causados por essa espécie de lagarta à planta são consequência de sua alimentação. A Helicoverpa armigera ingere tanto as folhas quanto as sementes da soja, podendo comprometer até 40% da produção.

 

 

Proclaim: controle assertivo para lagartas de difícil controle

O combate a algumas espécies de lagartas, como a falsa-medideira e a helicoverpa, se tornou um desafio aos produtores por conta do manejo inadequado, somado às condições favoráveis para a multiplicação de doenças.

 

Para proteger a lavoura de soja do ataque dessas invasoras, que interferem na sanidade da planta, diminuem a qualidade dos grãos e reduzem a produtividade, é essencial agir de forma precisa, buscando soluções que combinem eficácia e ação rápida.

 

Proclaim®, da Syngenta, é a solução recomendada para o controle e combate de lagartas na lavoura de soja. O inseticida se destaca pela eficácia desde a primeira aplicação, além de combater o complexo de lagartas a partir de sua rápida ação de choque, que bloqueia a alimentação poucas horas depois de entrar em contato com a praga.

 

Com alto efeito residual,  que protege a folha por mais tempo devido à sua ação translaminar, o modo de ação de Proclaim no controle de lagartas é um diferencial para a realização do manejo de resistência, assim como sua seletividade, que permite que, ao entrar em contato com o tecido foliar, o produto acabe com as pragas, preservando os inimigos naturais.

 

Proclaim é mais uma das soluções disponíveis no portfólio da Syngenta, desenvolvidas a partir do investimento em tecnologia e inovação, para caminhar sempre  ao lado do produtor em busca das melhores práticas e bons resultados na lavoura.

 

FONTE: PORTAL SYNGENTA